sexta-feira, 24 de julho de 2015

Exposição “Memória Lélia Gonzalez” e debate marcam o Dia da Mulher Negra em Alagoas

O Comitê Impulsor da Marcha de Mulheres Negras 2015 em Alagoas e a Rede de Desenvolvimento Humano (REDEH) promovem neste sábado, 25, o Lançamento da Exposição “Memória Lélia Gonzalez: O feminismo negro no palco da história”, às 16hs, no Museu da Imagem e do Som (MISA), localizado na Praça Dois Leões, no bairro de Jaraguá. 

O evento marca a passagem do Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-americana e Caribenha, e tem como objetivo mobilizar lideranças negras, ativistas, intelectuais, e pesquisadoras\es para um debate sobre as contribuições de Lélia Gonzalez para os movimentos de mulheres negras contemporâneos.

Lélia Gonzalez foi uma ativista, intelectual negra e professora acadêmica. Historiadora, antropóloga e filósofa foi uma das pioneiras a denunciar o racismo e o sexismo como formas de subalternização das mulheres negras. No contexto dos anos 1960, seu ativismo ultrapassou as fronteiras nacionais, tornando-se uma referência para sua geração e para os movimentos de resistência atuais.

A abertura terá a presença de Vanda Menezes, coordenadora do Comitê Impulsor da Marcha de Mulheres Negras em Alagoas; Antônia Ceva, coordenadora de pesquisa da REDEH; e Maria Aparecida Oliveira, coordenadora do Núcleo Temático Mulher e Cidadania, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Em seguida haverá a exibição do vídeo documentário “Lélia Gonzalez: o feminismo negro no palco da história”.

A programação consta, ainda, de debate sobre as contribuições de Lélia Gonzalez para os movimentos de mulheres negras contemporâneos, com a presença de Dulce Pereira, feminista, ambientalista negra e professora da Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais (UFOP\MG). Em seguida, haverá apresentação cultural e encerramento.

Realizado pela Fundação BB desde 1997, o Projeto Memória é uma tecnologia social de educação que visa difundir a obra de personalidades que contribuíram significativamente para a transformação social, a formação da identidade cultural brasileira e o desenvolvimento do país. O objetivo é resgatar, difundir e preservar a memória cultural brasileira por meio de homenagens a personalidades que contribuíram para a transformação social e para a construção da cultura nacional.



Fonte: Comitê Impulsor da Marcha Nacional das Mulheres Negras 2015, em Alagoas.
Contato: Valdice Gomes (82) 98878-7484 (Jornalista Reg. 288 MTE\AL)

3 comentários:

  1. Respostas
    1. A previsão era que a Exposição “Memória Lélia Gonzalez: O feminismo negro no palco da história” permanecesse no Museu da Imagem e do Som (MISA) até o dia 14 de agosto.

      Excluir

Agradecemos sua mensagem!
Axé!