terça-feira, 20 de junho de 2017

Festejos juninos em Alagoas

No ano do bicentenário do Estado de Alagoas, a programação do São João foi intitulada Arraiá da Solidariedade, e contará com pontos de coletas de mantimentos e agasalhos para as famílias que sofreram com a chuva. Em Maceió, a festa será realizada nos entornos do Museu da Imagem e do Som de Alagoas (MISA), nas praças Dezoito de Copacabana e Dois Leões, no bairro histórico do Jaraguá.

O Governo de Alagoas garantirá a instalação de dois palcos, um para apresentação dos grupos de cocos de rodas e outro para atrações alagoanas: 17 bandas e 36 trios autênticos de forró.

Confira a programação completa a partir das 20h no palco central: 23/06 – Betinho Marcolino, Claudio Rios e Eliezer Seton; 24/06 – Naldo do Baião, Joelson dos Oito Baixos e Tião Marcolino; 25/06 – Edgar dos Oito Baixos, Trio Gogó da Ema (Ivanildo do Forró) e Messias Lima. 26/06 – Zé de Princesa, Anderson Fidélis, Irineu e Banda; 27/06 – Zé do Brejo, Mila do Acordeon, Zé Mocó e Banda; 28/06 – Gil Neves, Sandoval e Banda Fogo no Forró, Lula Sabiá e Banda; 29/06 – Tutinha do Acordeon, Chau do Pife e Banda, Xameguinho e Banda.

Também terá a exposição ‘O Forró dos 200 Anos’ no Misa, que homenageia os grandes nomes do forró de Alagoas; e em frente ao museu será instalada uma casa de farinha, que estará em pleno funcionamento para os/as visitantes se deliciar com comidas típicas.

Outra importante iniciativa será o I Festival de Coco de Roda de Alagoas de 24 a 29 de junho, na Praça Dezoito de Copacabana. Trata-se de uma parceria entre o Governo do Estado e a Liga dos Cocos Alagoanos (Licoal) que proporcionará a competição de 20 grupos de coco de roda e apresentação de convidados, somando mais de mil dançarinos, são eles: Ganga Zumba (Cruz Das Almas), Xique Xique (Jacintinho), Mandacaru (Clima Bom), Paixão Nordestina (São Jorge), Los Coquitos (Chã Da Jaqueira), Raízes Nordestinas (Pescaria), Flôr da Mata (Boca da Mata), Pisa na Fulô (Farol), Leões de Fogo (Jacintinho), Reviver (Bebedouro), Águia de Fogo (Reginaldo), Raro Xodó (São Jorge), Rosa Vermelha (Boca da Mata), Catolé (Benedito Bentes), Sensashow (Jacintinho), Estrela de Alagoas (Bebedouro), Pau de Arara (Tabuleiro), Reis do Cangaço (Jacintinho), Coco de Roda Balança Mas Não Cai (Arapiraca), Coco de Roda Arcoiris (Benedito Bentes), Coco de Roda Xodó Mirin (Jacintinho) e Coco de Roda Pisa Miudinho (Melhor Idade). A grande final ocorrerá no dia 29 a partir das 19h.


Fonte: Coluna Axé – 446ª edição – Jornal Tribuna Independente (20 a 26/06/17) / COJIRA-AL / Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Governo de Alagoas promove I Encontro de Segmentos Sociais

Texto de Maria Barreiros

O exercício pleno da cidadania somente pode ser alcançado em um Estado Democrático de Direito, a partir de um modelo de gestão pública que estimula a participação popular. É com esse propósito que o Governo de Alagoas, por meio do Gabinete Civil, vem consolidando um novo formato de política pública e promove o I Encontro Estadual dos Conselhos de Segmentos Sociais. O evento acontece na segunda-feira (19), no Teatro Linda Mascarenhas (Cepa), e segue até terça-feira (20), no auditório do Cenfor (Cepa), a partir de 8h.

De acordo com o secretário-chefe do Gabinete Civil, Fábio Farias, a gestão Renan Filho tem como prioridade o respeito, diálogo e valorização de todos os segmentos sociais.

“O atual Governo vem tendo o maior respeito com os segmentos. Isso é notório e bem aceito por eles próprios. Conquistamos um processo de diálogo diferenciado, por meio da Gerência de Articulação, que valoriza o cidadão, a partir do controle social, em uma gestão que tem como prioridade a integração entre todos os conselhos, de forma inédita, consolidando um único diálogo de igualdade. Queremos, cada vez mais, facilitar o apoio para que esses segmentos, juntamente com a sociedade civil, possam desenvolver suas ações,” observou o chefe do Gabinete Civil.

O encontro tem como objetivo a análise das políticas públicas e controle social, a partir de uma articulação entre os setores envolvidos e os segmentos populacionais em desvantagem social.

Para a gerente de Articulação Social do Gabinete Civil, Ednilsa Lima, após esse evento, os conselhos estarão mais fortalecidos para serem mecanismos de participação social.

“Queremos, a partir do compromisso e da responsabilidade dos integrantes, consolidar um novo formato na gestão de governo, que tenha como eixo a democratização de informações e a participação social na implementação das políticas públicas. Por isso esse encontro será um marco para o Governo, no que diz respeito aos segmentos em desvantagem social,” explicou Ednilsa Lima.

Confira a programação:

Dia 19/06
Teatro Linda Mascarenhas - Cepa
08h - Credenciamento e entrega dos Crachás
10h - Apresentação cultural
Abertura Oficial – Frente de Honra com falas Institucionais
11h - Posse dos Novos Membros dos Conselhos Para o Biênio 2017/2019
Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos
Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial
Conselho Estadual do Idoso
12h30- Intervalo para o Almoço

Auditório do Cenfor - Cepa
14h30 – Mesa 1 - Palestra Inicial Tema 1: Controle Social – Histórico e Perspectivas ; Controle Social – Caráter Deliberativo e Paridade – Exercício de Disputa e Pactuação (A paridade nos conselhos gestores entendida do ponto de vista quantitativo, mas, principalmente, quanto ao aspecto qualitativo).
Palestrantes: Promotor do Ministério Público Estadual/AL Dr. Flávio Gomes da Costa Neto e Leandro Rosa - Assessor de Feitos Jurídicos da 61ª Promotoria
15h40 – Debate.
16h00 – Pausa para Café
16h20 – Mesa 2 – Palestra Inicial : Responsabilidade Social e Institucional dos Conselheiros, mecanismos jurídicos legais do Papel do Conselheiro e do papel deliberativo e seus limites( Política, Planos, Fundos)
Palestrante: Assessor Jurídico do Núcleo da Procuradoria-Geral do Estado no Gabinete Civil, Dr. Iuri Nobre Rodrigues.
Tema 2 - Ampliando a Compreensão dos Direitos Humanos: Políticas Sociais – Setores e Segmentos
Palestrante e coordenadora da mesa -superintendente de Direitos Humanos / Semudh, dra. Rita Mendonça
17h - Debate.
17h30 – Enceramento do 1º dia

Dia 20/06
08h - Abordagem: Políticas de Defesa de Direitos dos Segmentos Geracionais - Coordenador: Edmilson Vasconcelos – Participação
08h30 às 11h - Trabalhos em Grupo
11h às 12h30 – Apresentação de propostas dos grupos
12h30 às 14h - Almoço
14h às 16h - Formação de Grupos Mistos – Intolerância e Preconceito – Construção de pactos de respeito mútuo.
16h às 17h - Apresentação de Resultados
17h30 – Encerramento
Mais informações pelos números (82) 9 8833.9084 (Ednilsa Lima),  (82) 3315-3343 (Allana Miranda).

terça-feira, 13 de junho de 2017

Cotas no serviço público federal

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu no dia 8 de junho, o julgamento da Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) 41 e reconheceu a validade da Lei 12.990/2014, que reserva 20% das vagas oferecidas em concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal direta e indireta, no âmbito dos Três Poderes.

Desde 2014 a legislação vinha sendo questionada em vários tribunais do país, e agora, a decisão foi unânime para torna-la válida. O julgamento foi iniciado em maio, quando o relator, ministro Luís Roberto Barroso, votou pela constitucionalidade da norma. Ele considerou, entre outros fundamentos, que a lei é motivada por um dever de reparação histórica decorrente da escravidão e de um racismo estrutural existente na sociedade brasileira. Acompanharam o relator, naquela sessão, os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Rosa Weber e Luiz Fux.

Já o ministro Dias Toffoli destacou que seu voto restringe os efeitos da decisão para os casos de provimento por concurso público, em todos os órgãos dos Três Poderes da União, não se estendendo para os Estados, Distrito Federal e municípios, uma vez que a lei se destina a concursos públicos na administração direta e indireta da União, e deve ser respeitada a autonomia dos entes federados. Porém, caso queiram fazer o mesmo, não é considerado ilegítimo.

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, afirmou que a decisão do STF reforça ações que combatem a desigualdade: “A posição do Judiciário não vinha sendo uniforme, o que tem gerado situações de insegurança jurídica em concursos públicos federais (...) Hoje foi dado mais um passo em direção à igualdade de oportunidades num país que ainda sofre com a desigualdade”, mencionou.

Enquanto isso, as polêmicas e críticas continuam em relação a essa conquista histórica!


Fonte: Coluna Axé – 445ª edição – Jornal Tribuna Independente (13 a 19/06/17) / COJIRA-AL / Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Lançamento de documentário sobre comunidade quilombola no Iphan tem local de realização alterado por conta das chuvas

 Anny Rochelly Jornalista


A exposição com diversas peças feitas de barro provenientes da comunidade quilombola Muquém, situada no município de União dos Palmares/AL, estará aberta aos alagoanos e turistas que visitam o Estado a partir de 6 de junho, no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de Alagoas (Iphan), que fica localizado no Jaraguá. Mais de 100 peças confeccionadas por artesãos da comunidade ficarão abertas para visitação e compra até o início de julho. 
O lançamento do documentário sobre a comunidade, que aconteceria no mesmo local, foi remanejado devido às chuvas recentes que ocasionaram problemas de energia no Iphan. Por conta disto, o lançamento desta noite acontece no Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), no anfiteatro do Bloco C da instituição, às 18h. Potes, vasos, travessas, panelas, luminárias, objetos decorativos, cabeças de barro, todos estes itens compõem o acervo de arte produzido pelos artesãos e que estará disponível no Iphan. O barro é matéria-prima das peças que hoje são revendidas para apreciadores da arte de todo o Brasil. As cabeças de dona Irineia, por exemplo, são amplamente utilizadas em resorts de luxo, novelas e museus espalhados pelo país.
O evento é uma organização de alunos do mestrado em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas da Universidade Tiradentes (Unit/AL) e terá início com o lançamento de um documentário de cerca de 20 minutos que conta um pouco da história da comunidade, dos artesãos e da arte produzida, tudo isso pelas palavras dos próprios quilombolas, além da enchente que atingiu o local em 2010. 
“Este filme é emocionante por trazer trechos e depoimentos dos artesãos na linguagem típica da região, portanto valoriza a cultura quilombola e permite que as pessoas conheçam a cultura e a força do nordestino em cada detalhe”, explicou o estudante Alexandre Vasconcelos, concluinte do mestrado. O filme será lançado às 18h, com exibição única no dia 6 de junho, no anfiteatro do bloco C da Unit.
 Os artesãos retratados no documentário são dona Irineia e o esposo, seu Antônio, além de dona Marinalva e dona Julieta. A exposição também terá peças do seu Edson e o acesso é gratuito. A comunidade Muquém fica localizada em União dos Palmares, zona da mata alagoana, e foi certificada pela Fundação Palmares em 2005. No local, residem 140 famílias e atualmente os artesãos revendem suas peças no Galpão de Artesanato União dos Palmares ou na própria residência, onde os turistas chegam para compra imediata ou encomenda de peças para envio posterior.




 Serviço: Lançamento de documentário e exposição quilombola
 Onde: Unit e Iphan
 Quando: 06 de junho a 02 de julho
 Acesso gratuito

terça-feira, 6 de junho de 2017

Cultura e direitos humanos

Até o dia 9 de junho a partir das 14h, no Museu da Imagem e do Som de Alagoas (MISA) localizado na Rua Sá e Albuquerque, no bairro histórico do Jaraguá em Maceió, acontecerá a 11º Mostra Cinema e Direitos Humanos.

O evento voltado à promoção da educação e da cultura em Direitos Humanos é uma realização do Governo Federal, Ministério dos Direitos Humanos, em parceira com o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh); conta com a produção nacional ICEM e produção local Marola Produções.

Serão exibidos 29 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens, tendo como tema central as questões de Gênero, contando com a exibição de 7 títulos que abordam temas relacionados às mulheres, orientação sexual e diversidade de gênero, empoderamento feminino, violência contra a mulher, estereótipos de gênero, LGBTfobia, conquistas sociais, políticas e econômicas. A novidade para esta edição é a Mostrinha, com oito curtas metragens direcionados ao público infanto-juvenil.

A programação é dividida em três momentos: Mostra Panorama apresenta filmes selecionados a partir da convocatória pública aberta pela equipe da curadoria; Mostra Temática sobre questões de gênero; e a Mostra Homenagem que visa homenagear cineastas cuja filmografia explora a temática Direitos Humanos, trazendo-a para o foco de debates, e nesta edição, a homenageada é a cineasta Laís Bodansky.

A Mostra Cinema e Direitos Humanos acontecerá nas 26 capitais e no Distrito Federal. A expectativa é receber um público de 30 mil pessoas em todo o país e ainda promover um espaço de reflexão, inspiração e promoção do respeito à dignidade da pessoa humana por meio da linguagem cinematográfica.

Para mais informações e programação detalhada, acesse a página: https://www.facebook.com/11mostracinemadireitoshumanosmczal. Entrada gratuita!


(Com informações da Ascom)


Fonte: Coluna Axé – 444ª edição – Jornal Tribuna Independente (06 a 12/06/17) / COJIRA-AL / Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com

domingo, 4 de junho de 2017

Cenarte abre vagas para novas turmas de percussão

Texto de Júlya Rocha


O Centro de Belas Artes de Alagoas (Cenarte), equipamento da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), abriu 40 vagas para o novo curso de percussão, com ênfase no pandeiro e tarol. As matrículas são gratuitas e acontecem entre os dias 02 e 09 de junho, na secretaria da escola.


As aulas serão realizadas todas as segundas-feiras, de 14h às 15h30 (tarol) e de 16h às 17h30 (pandeiro), e as sextas-feiras, de 09h às 10h30 (tarol) e de 11h às 12h30 (pandeiro), ministradas pela professora Manuela Cecília,  a partir do dia 12 de junho.

Os interessados devem comparecer ao equipamento cultural, das 09h às 16h, portando uma foto 3x4, carteira de identidade (RG), CPF e comprovante de residência. Podem se inscrever pessoas a partir de 10 anos de idade.

Cenarte 

Criado há 35 anos, o Cenarte visa à promoção do acesso aos bens artístico-culturais e a prestação de serviços em artes, dança, música e teatro. O equipamento cultural está localizado na rua Pedro Monteiro, 108, Centro de Maceió. Mais informações pelo telefone: 3315-7871.


Fonte: Ascom/Secult

Estudante alagoana é chamada de 'macaca' em postagem nas redes sociais

(Crédito: Reprodução) 
 
Uma postagem com mensagens racistas viralizou nas redes sociais com vários compartilhamentos entre estudantes de Alagoas nesta quinta-feira (01). Na imagem, uma jovem negra, aluna do Colégio Santa Úrsula, é alvo de xingamentos por parte de outros jovens que seriam da mesma instituição de ensino. 

“Sem comentários para a macaca azeda que eu vou meter meu gesso na cara, merma arruma esse cabelo de tuim pra poder falar dos outros!!”, diz o primeiro comentário, de uma garota, completado com a hashtag #aiquesusto. “Vaiii comer banana oush”, falou outra jovem, que também usou a mesma hashtag. 

Entre as mensagens racistas, um jovem chega a recriminar a atitude das meninas. “Isso foi racista”, afirmou. “Aquela macaca merece todo racismo do mundo”, respondeu a autora do primeiro comentário. 

Alunos do colégio chegaram a realizar uma manifestação contra o ato de preconceito e em apoio à aluna, com cartazes e mensagens nas redes sociais. 

O TNH1 tentou entrar em contato com a diretoria do Santa Úrsula, mas uma funcionária do colégio informou que no momento da ligação telefônica não havia ninguém que pudesse responder sobre o caso. 

No início da noite, o colégio postou uma nota em uma rede social se manifestando sobre o caso, sem dizer, no entanto, se iria realizar algum procedimento administrativo ou se os alunos envolvidos sofreriam algum tipo de punição. 

Confira a nota na íntegra:
Nota de repúdio
O Colégio Santa Úrsula vem a público manifestar total repúdio em relação aos relatos de racismo ocorridos nas redes sociais entre alunos.
A instituição reforça, ainda, que diariamente desenvolve projetos e atividades que prezam pela formação contínua de cidadãos éticos, responsáveis e conscientes de seu compromisso social, almejando sempre uma sociedade justa e igualitária.

 
 

Fonte: TNH1


sábado, 3 de junho de 2017

Maceió terá Mobilização pela Saúde da Mulher Negra



O Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna celebrado no dia 28 de maio, busca chamar a atenção da sociedade dos diversos problemas de saúde e distúrbios comuns na vida das mulheres. Diante da sua importância, várias instituições da sociedade civil e órgãos públicos realizam vários tipos de ações de conscientização.

A morte materna é o óbito de uma mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração ou da localização da gravidez, sendo ocasionado por fator relacionado ou agravado pela gravidez ou por medidas tomadas em relação a ela.

As cinco principais causas de morte materna são: Hipertensão, hemorragia, as infecções puerperais, as doenças do aparelho circulatório complicadas pela gravidez, parto e puerpério e o aborto. Infelizmente, a maioria dos casos atingem as mulheres negras devido à falta de qualidade e humanização do atendimento, inclusive, violência obstétrica na hora do parto. 

Com o objetivo de garantir visibilidade à data, a Secretaria Municipal de Assistência Social de Maceió (Semas) por meio da Coordenação de Política da Igualdade Racial e a Coordenação da Mulher, realizará nessa terça-feira(6) a “Mobilização pela Saúde da Mulher Negra” no Calçadão do Comércio de Maceió, das 8h às 12h, com aferição de pressão arterial, teste rápido de glicemia, teste rápido do pezinho, prevenção ao câncer de mama, prevenção sobre HIV/Aids e assessoria técnica da saúde e jurídica. 

O local também será um ponto de apoio para arrecadação de produtos de higiene pessoal, que serão doados para população de Maceió, que sofreram com as fortes chuvas.

Prestigie!

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Uncisal aborda Políticas Afirmativas em processo profissional-usuário



Com o objetivo de promover o processo de ensino-aprendizagem de forma experiencial com metodologias ativas e aspectos da comunicação, a Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) realiza neste sábado, dia 03, o I Seminário de Convivência Intercultural e Interdisciplinar para Alteridade nas Políticas Afirmativas de Saúde. O evento acontecerá  na UFAL, no auditório Vera Rocha, antigo Csau.

Durante todo o dia serão abordados assuntos relacionados a políticas públicas, direitos étnicos raciais, direitos indígenas, direitos LGBTTI, como também sua relação com religiões afrodescendentes.

O encontro conta com representantes de vários grupos e profissionais da área da saúde. Alunos dos cursos de fonoaudiologia, fisioterapia, medicina e terapia ocupacional farão uma mostra de vídeos sobre políticas afirmativas em saúde e o cenário alagoano da gestão e dos movimentos sociais.

O seminário é uma ação de extensão, integrada ao ensino  e à pesquisa, contemplando matéria que abordam as políticas afirmativas em saúde na Uncisal, tendo o PET gradua e seus integrantes como convidados.

Mais informações no facebook (https://www.facebook.com/events/188706224983606/), ou entrar via e-mail: intercultural.convivencia@gmail.com.


Fonte: Ascom